quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Agosto, mês do desgosto e do folclore

Tutu Marambá, o bicho-papão brasileiro.
Assombrador de crianças, aparece em cantigas
de ninar, que a criança ouve, fecha os
olhos de medo e dorme
Agosto é um mês misterioso. Dizem que são trinta e um dias de desgraça e infelicidade nos quais não se deve viajar, fechar negócios e muito menos casar. Agosto também é o mês do folclore, a ciência das coisas do povo. Os ritos, as tradições, a sabedoria, as brincadeiras, os jogos, as festas e as danças que o povo dança fazem parte do folclore.

Por que justo agosto é um mês de azar? Por que quem tem sorte no jogo tem azar no amor? E sonhar com dente é morte de parente? São perguntas cujas respostas a gente só encontra no folclore. Um grande número de assombrações, fantasmas e entes fantásticos de todos os tipos e tamanhos surgem através dessa ciência popular.

Em 22 de agosto de 1982, a "Folhinha", do jornal a Folha de São Paulo, comemorou o mês apresentando às crianças criaturas do folclore nacional. Além de seres mais conhecidos, como a Mula Sem Cabeça e o Lobisomem, o caderno trouxe outros como o Tutu Marambá, Domingos Pinto Colchão e o Papa-Figo.

Vejam as ilustrações de Ricardo Azevedo para a publicação original nesta postagem.

Pé-de-Garrafa tem a figura de um homem com os pés redondos como fundo de garrafa.
Anda pelo mato dando gritos tão fortes que fazem as pessoas enlouquecerem e se perderem
A onça-boi é um animal assombrado que anda pela floresta
sempre em duplas e não sabe subir em árvores.
O caboclo d'água vive no fundo dos rios. Tem o domínio das águas e dos peixes.
Ataca canoeiros e pescadores, virando barcos e criando ondas enormes.
Domingos Pinto Colchão (também conhecido como Pinto Pelado) é um galo endiabrado,
meio desengonçado e depenado que entra pelas casas derrubando tudo.
A boiúna é uma cobra escura e gigantesca com rosto humano que habita os rios amazônicos.
Pode se transformar em barco ou navio, solta fogo pelos olhos e engole pessoas com facilidade.
A mula sem cabeça galopa pela noite assombrando e dando sustos. Solta chispas de fogo pelas narinas e pela boca.
Para evitar seu ataque é só esconder unhas e dentes.
O cavalo de três pés é uma versão da mula sem cabeça. Aparece nas estradas desertas correndo,
dando coices e voando. Quem pisar em seu rastro será infeliz
Muito feio, pálido e barbudo, o Papa-Figo anda esfarrapado e sujo,
roubando crianças mentirosas. É um tipo de bicho-papão.
A anta cachorro é um animal grande e misterioso que tem forma de onça e mãos com cascos de anta. É bem feroz, mas não consegue trepar em árvores. Se alguém, para escapar dele, subir em uma árvore, o animal cava a terra com suas unhas de anta até que o tronco caia.
No Brasil, um lobisomem é o filho que nasce depois de sete filhas.
Aparece de noite nas encruzilhadas e cemitérios. Uiva para a lua e aprecia comer cocô de galinha
A mãozinha preta aparece sem mais nem menos andando pelo ar.
Às vezes é útil ajudando nos serviços da casa. Outras vezes fica brava e sai perseguindo e beliscando as pessoas
São homens que andam pelas ruas e estradas com um saco
grande pendurado nas costas, onde bota as crianças mal comportadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário