quinta-feira, 28 de abril de 2011

Yggdrasil e os nove mundos


Acredita-se que os mitos escandinavos tenham surgido na Islândia, terra de fogo e gelo, neve e vulcão. Eles falam de um universo complexo, na qual diferentes reinos foram construídos para os deuses, mortais, os gigantes, elfos e anões. Eram nove diferentes reinos localizados em volta de um grande freixo chamado Yggdrasil, a Árvore da Vida:

  1. NIFLHEIM: A terra congelada de Niflheim exisita antes do universo conhecido ser criado. Localizava-se entre as raízes de Yggdrasil e era envolta em escuridão ("Reino das Névoas"). Em seu centro, havia uma fonte gelada (Hvergelmir), mãe de vários rios. Tornou-se o reino de Hel, deusa dos mortos (Helheim). Lá também morava a serpente Nidhogg, bem aos pés do freixo, que se alimentava da carne dos cadáveres da encosta Nastrond e roía as raízes da árvore para destrui-la.
  2. MUSPELLHEIM: Governada pelo gigante de fogo Surt, Muspellheim era a região ardente que existia junto com Niflheim antes de Odin criar o universo. Era uma terra árida e flamejante ("Reino da Desolação"). No início, seu calor fez o gelo de Niflheim derreter e criar Ymir e Audumla. Alguns corpos celestes foram criados a partir de faíscas de Muspellheim.
  3. ASGARD: "Mundo dos Ases", lar dos deuses Aesires. Situava-se no topo da árvore, cercado por uma muralha enorme. No meio de Asgard, ficava a Planície de Idavoll, onde os deuses se reuniam em fortalezas para definir questões importantes.
  4. VANAHEIM: "Reino dos Vanes", morada dos Vanires. Ficava ao nível de Asgard, no topo de Yggdrasil. É possível que Asgard na verdade seja uma cidadela dentro de Vanaheim, explicando ainda mais os conflitos entre as duas raças divinas.
  5. ALFHEIM: É o reino dos elfos, onde foi construído o palácio do deus Freyr, que repatriou essas criaturas como elfos de luz.
  6. MIDGARD: Entre os galhos de Yggdrasil, em sua parte central, ficava Midgard ("mundo do meio"), a morada dos humanos protegida por uma fortaleza mágica construída pelos deuses contra os gigantes. Asgard e Midgard eram ligadas por uma ponte de arco-íris chamada Bifrost.
  7. JOTUNHEIM: O lar dos gigantes de gelo e pedra, governado por Thrym em sua fortaleza Utgard. Ligava-se a Asgard pelo rio Iving, que nunca se congelava. Lá ficava o Poço da Sabedoria (Mimisbrunnr) de Mimir, abaixo da raiz de Yggdrasil mais próxima de Midgard.
  8. SVARTALFHEIM: A terra dos elfos negros (ou duendes). Fica no nível de Midgard.
  9. NIDAVELLIR: O reino subterrâneo dos anões. Também fica no nível de Midgard e Svartalfheim.

O esquilo Ratatösk vivia nos galhos de Yggdrasil. Ele passava o tempo todo subindo e descendo a árvore, levando mensagens desaforadas de Nidhogg para a águia (ou galo de ouro) que morava em Asgard.

Na base de Yggdrasil, viviam as Nornes. Elas guardavam o Poço do Destino (Urdarbrunnr), que, freqüentemente, recebia a visita dos deuses em momentos de grandes decisões. Outra função das governantes do destino era curar as raízes devoradas por Nidhogg. Na base do freixo, também viviam quatro cervos dos ventos, alimentando-se de seus frutos. Sustentando a Árvore da Vida, a gigantesca Jormungand, a serpente do mundo.

Os nove mundos de Yggdrasil, gravura de Friedrich Wilhelm Heine

4 comentários:

  1. Como históricamente muito pouco se estuda sobre os povos da região escandinava e como sempre nos fica a imagem de povos primitivos que nos foi passada pelos romanos, realmente me surpreende e encanta a complexidade da mitologia da região.
    Por formação sempre tento fazer algum paralelismo com a História/Geografia e nessa postagem observei coisas bem interessantes.
    "A Árvore da Vida" = embora com um sentido diferente da "arvore" biblíca é instigante que povos tão distantes no espaço usem essa mesma simbologia. Seria uma questão de associar a observação que eles faziam do crescimento do freixo (árvore que pode atingir 25 metros de altura)à própria origem da vida e formação daquela sociedade?
    Niflheim = me parece razoável ele estar mitologicamente associado à última glaciação (Würm) ocorrida no finalzinho da Era Terciária ou, para alguns geólogos, no início da Era Quaternária, ou seja, há mais ou menos há 2 milhões de anos, quando o gênero Homo já existia na face da Terra. A questão é que não sabemos se esse Homo (originário da África e em expansão pelo Oriente Médio) já havia atingido região tão distante.
    Muspellheim = também é possível associá-lo ao degelo da última glaciação citada acima. Reparem que nesse mito o calor fez o gelo de Nifheim derreter.
    Bem, fiz alguns paralelismos com 2 dos 9 mundos e, é claro, não sei se estou certa. preciso refletir sobre os outros e muito especialmente sobre as Nornes e seu papel curativo nas raízes do freixo.
    Árvore da Vida (o planeta?) + Nornes curando as raízes do freixo = estaríamos diante de uma embrionária preocupação com sustentabilidade ou isso é uma completa "viagem" minha?
    Vamos pensar juntos?













    "A Árvore da Vida" = embora com um sentido bastante diverso da "arvore" bíblica acho bastante instigante o uso da mesma simbologia.
    Me pergunto até que ponto Niflheim

    ResponderExcluir
  2. Pesquisando um pouco mais sobre a origem dos povos nórdicos descobri que não sabemos ao certo quando surgiu a religião nórdica. Por exemplo, não há nada que comprove uma mudança religiosa fundamental na transição entre a Idade do Ferro (aproximadamente 6500 a.C.) e a Era Viking (em torno de 750 d.C) As fontes para o estudo desse período são frágeis e pouco confiáveis. O que se sabe é que o norte foi habitado pelos humanos desde o fim da última Era do Gelo (Glaciação Würm, já citada anteriormente), mas o grau de continuidade cultural entre as sociedades indígenas de caçadores-coletores primitivas e a sociedade da Era Viking, é completamente desconhecido. Apesar das diferenças entre os dois tipos de sociedade é muito improvável que não tenha havido correlação entre suas crenças nas duas épocas.
    Ora, lendo a postagem do autor verifiquei a existência de 2 reinos no mesmo nível: Asgard e Vanaheim e o registro de fortes rivalidades entre as duas raças divinas.
    Acredito que, historicamente falando, isso possa estar associado à penetração dos vikings, grandes exploradores e guerreiros, naquela região, provocando conflitos com os povos que lá habitavam milenarmente.
    Mas vejam bem: isso é mera especulação.
    Agora o que achei mais sensacional está ligado a uma frase da postagem do autor: "No meio de Asgard, ficava a Planície de Idavoll, onde os deuses se reuniam em fortalezas para definir questões importantes".
    Descobri que desde 1952 existe um Conselho Nórdico (organização de cooperação interparlamentar para discutir e solucionar questões referentes aos países nórdicos) formado pela Suécia, Dinamarca, Noruega, Islândia e Finlândia. Portanto, pode não existir a Planície de Idavoll mas que o Conselho Nórdico está aí funcionando até hoje, lá isso está.

    ResponderExcluir
  3. Continuando o estudo sobre a fascinante mitologia escandinava fiquei confusa com o reino dos elfos (ALFHEIM) e o reino dos elfos negros ou duendes (SVARTALFHEIM) e gostaria de um esclarecimento.
    Até onde pude entender, os elfos são criaturas míticas especificamente da mitologia nórdica (eram muito comuns na literatura medieval europeia). Quanto aos duendes aparecem em várias mitologias europeias, inclusive a espanhola, a inglesa, a francesa e, é claro na dos países nórdicos. Você tem ideia de quem influenciou quem?
    Com relação à ponte de arco íris, ligando Asgard a Midgard não é verdade que, segundo a lenda, os duendes guardam o pote de ouro que ficaria no final do arco íris? Entretanto me parece que isso não está presente na mitologia.
    Bem, agora preciso realmente ver o filme.

    ResponderExcluir
  4. não tenho idéia. os termos "elfo" e "duende" se confundem em algumas traduções para o português. é mais certo que a mitologia escandinava fale em elfos e, mesmo assim, em pouquíssimas situações. desconheço a equivalência dos elfos nórdicos com os duendes irlandeses.

    ResponderExcluir