segunda-feira, 16 de novembro de 2015

HÉRCULES: Os Doze Trabalhos - O Touro de Creta

Hércules dominando o Touro de Creta, estátua de August Kriesmann, Alemanha.

Euristeu tentava sempre dificultar as tarefas dadas à Hércules. Era hora de mandá-lo para longe, uma vez que o Peloponeso já estava salvo de seus monstros. Como sétimo trabalho, então, o herói deveria trazer o selvagem Touro que aterrorizava a ilha de Creta vivo até seu palácio, fazendo com que ele precisasse lidar com a fera enraivecida nas travessias pelo mar.

Hércules domina o Touro de Creta, estátua
em mármore de Lorenzo Mattielli.
Conta a lenda que Minos, filho do Rei Astério, estava tendo sua sucessão contestada e pediu que Poseidon intercedesse a seu favor, fazendo surgir das águas um sinal de sua legitimidade. Do Mar Egeu, surgiu um belíssimo touro branco com chifres de ouro e cascos de bronze. Poseidon impôs a Minos a condição de que o touro seria sacrificado em seu nome. No entanto, encantado pela beleza do animal*, o rei misturou-o em seu rebanho e sacrificou outro para o deus. O touro divino imediatamente enlouqueceu e começou a devastar a ilha, personificando a fúria do deus dos mares (diziam até que saía chamas de suas narinas). Quando Hércules chegou pedindo autorização para levá-lo, o rei ficou contente.
* Minos tem histórico com touros: sua mãe Europa teria chegado à Creta em um touro enviado por Zeus (ou o próprio deus transformado no animal); e, após recusar o sacrifício à Poseidon, o deus dos mares fez com que a princesa Pasífae se apaixonasse por seu touro e desse a luz ao Minotauro.
Assim que avistou o herói, o touro arremeteu com os chifres baixos. Hércules ficou firme em sua posição até o último momento, quando se jogou para o lado. O animal caiu se estatelou no chão, mas rapidamente se levantou e tornou a investir contra o herói. Dessa vez, Hércules segurou o touro pelos chifres e baixou sua cabeça até as narinas encostarem no chão. A luta de força continuou até o animal cansar: foi o triunfo sobre a força bruta dominadora, uma vez que o touro simboliza o poder descontrolado, o arrebatamento irresistível, a masculinidade impetuosa.

Relevo de Hércules e o Touro de Creta no Templo de Zeus, em Olímpia (470-460 a.C.).

Com um laço, facilmente o subjulgou e, montado em suas costas, atravessou o mar a nado até Micenas. Ao ver o belo animal, Euristeu decidiu sacrificá-lo à Hera, mas a deusa não queria que esse presente viesse de um feito do bastardo de Zeus. Euristeu, então, permitiu a soltura do touro, que correu livre pela Grécia até ser capturado por Teseu nas planícies de Maratona.

O signo de Touro é associado a esse animal mitológico, porém, à lenda do rapto de Europa. Na constelação, as estrelas são representadas como um touro em posição de ataque, com os chifres abaixados, mas formam apenas a cabeça, ombros e membros anteriores do animal, pois sua parte posterior estava submerso tanto no rapto que levou Europa à Creta quanto na derrota para Hércules que o levou à Micenas.

Taurus, ilustração de Johannes Hevelius

PARTE: I - II - III - IV - V
TRABALHO: I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII
PARTE: VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - Livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário